Descubra qual a melhor linha de projeto para o seu negócio/bolso e foque nisso

Não dará muito certo você comprar um BMW esportiva se você trabalha em uma fazenda! Por mais que pareça ridícula essa comparação, acredite que acontece freqüentemente no mundo da web. A empresa tem um ramo que necessita imensamente de aplicações e serviços on-line, daí vê um site de marca de roupa “bunitinhu, todo piscandinho em flash” e acha que aquilo fica legal para sua empresa, o final é um monte de dinheiro jogado fora!

Para facilitar e resumir a conversa, coloco a seguir alguns tipos de projetos e as situações em que eles se enquadrariam melhor:

Site Institucional

Como o nome já diz, é um site que deve de forma básica e objetiva “apresentar” a empresa ou instituição. É relativamente uma das opções mais econômicas e se for bem desenvolvido trará bons resultados. O foco deve ser uma boa apresentação da marca e convencer o cliente que a sua empresa é a melhor opção para ele. Dê destaque aos diferenciais e novidades. Deixar fácil acesso aos meios de contato facilita ele tomar a decisão pela sua empresa.

Em geral é estruturado da seguinte forma:

HOME – Página Inicial – Algumas empresas deixam a página “Empresa” como a principal, ou seja, a que aparecerá primeiro. Eu aconselho sempre criar uma Página exclusiva para Home como se fosse uma “Capa de Revista”, de forma que o visitante tenha na primeira tela uma visão geral da empresa e consiga escolher rapidamente o que lhe interessa.

SERVIÇOS – Obviamente é a página que relaciona e descreve tudo o que a empresa tem à oferecer em relação à serviços. É importante ser bem detalhado com o máximo de informações possíveis dependendo da atividade. Se há bastante variedade e informações no tipo de serviço prestado, é interessante subdividir cada serviço ou categorias de serviços em outras páginas e criar uma boa navegação entre eles através de menus e links. Imagens ajuda sempre a prender a atenção e dar mais prazer na leitura, mas tem que ser bem preparadas para dar boa impressão e não prejudicar o desempenho.

PRODUTOS – A página de produtos de um site institucional não é para vendas. Se há grande variedade e não houver como manter todos catalogados on-line, é interessante criar um catálogo só dos produtos especiais, aqueles que se destacam pela qualidade ou pela novidade. Há ainda empresas que apenas relacionam as marcas ou categorias de produtos que oferecem em seus estabelecimentos. Se pretende trabalhar com vendas pela internet, leia sobre o tipo E-commerce.

CONTATO – É onde concentra todas as formas do visitante entrar em contato com a empresa, e quanto maior for as opções, maior a chance de torná-lo cliente. Telefone, e-mail e endereço são indispensáveis, mas é muito importante um mapa de localização, atendimentos on-line com MSN, Skype, Google Talk ou Chat próprio, integração com redes sociais como Facebook, Twitter, blogs e outras. Lembrando que as redes sociais só valem se realmente forem utilizadas e CORRETAMENTE utilizadas, caso contrário poderá ser um tiro saindo pela culatra.

PAGINAS E ELEMENTOS ADICIONAIS – Há possibilidades de incluir algumas funcionalidades ao site que dependendo do ramo de atividade pode ser muito útil como blogs, show-room, downloads, formulário Trabalhe Conosco, etc… Mas sempre com o cuidado de verificar coerentemente a importância disso na relação entre você e o cliente. Esquece a idéia de colocar previsão de tempo, conversores de moedas e essas “fuleragens”, salvo se for esse o serviço oferecido, afinal, você acha mesmo que a pessoa que quer ver se vai chover amanhã vai lembrar de entrar no seu site sendo que há sites específicos para isso com inúmeras possibilidades e facilidades?

E-commerce (Loja On-line) – Vender pela Internet

O E-commerce é um site preparado principalmente para vendas on-line. Ele pode ter um perfil de HOTSITE que é normalmente adotado para venda de um produto específico ou de vários departamentos e categorias.

Antes de se aventurar em um e-commerce é preciso ter um detalhado projeto do negócio, pois é necessário ter consciência de que o seu concorrente não será apenas local ou da região, mas possivelmente do mundo inteiro. Por isso é preciso ter fortes diferenciais que poderão ser preços, qualidades, atendimento e exclusividade, e repito, a nível de país e mundo.

Por tras do site deverá ter toda uma estrutura que vai desde administrativa, computacional até operacional, marketing e logística.

Um bom ecommerce deverá ser integrado com operadoras financeiras para vendas com cartão de crédito, e para isso precisa estar preparado para criptografia de dados. Este recurso é fornecido pelo servidor onde ele está hospedado e a empresa que desenvolverá deverá ter conhecimento dessas técnicas.

Também é importante uma consultoria de empresas de segurança on-line, pois dará maior garantia de segurança para o cliente e isso é fundamental para sucesso nas vendas.

Deve-se trabalhar muito com a otimização para os mecanismos de busca e se for um site de mix de produtos, deixar uma boa estrutura para ferramentas de exportação XML dos produtos, assim facilitará a integração com sites de pesquisas de preço como o buscapé que converte bastante vendas.

Não se arrisque em montar um por conta própria se não tem conhecimentos médio avançado em webdesign e programação, também não recomendo essas lojas semi-prontas que os servidores oferecem para usuários leigos, pois ficarão com aspecto muito amador e dificilmente passará a credibilidade necessária para sobreviver neste mercado.

Para se aprofundar mais em e-commerce recomendo leitura e pesquisa no blogdoecommerce.com.br

Hotsite

O hotsite é utilizado principalmente para um lançamento ou fim específico e temporário, por exemplo, para o lançamento de um carro novo no mercado, alguma promoção ou concurso, ou ainda campanhas de conscientização.

Sua principal característica é o forte impacto visual, normalmente contando com auxílio do flash e multimídias.

Não chega a ser regra, mas normalmente é criado para ficar on-line apenas por um tempo determinado.

Esse é o tipo de site que se torna muitas vezes equivocadamente fonte de inspiração para leigos que querem contratar alguem para fazer o site da empresa, e aí acontece o desastre por não entenderem os objetivos principais dele que são:

  • Atrair a atenção para um único produto ou assunto;
  • Impactar de todas as formas possíveis, pois provavelmente o visitante não retornará;
  • A divulgação e abordagem é carregada de informações e efeitos e não visa a fidelização e retorno, mas decisão única e imediata.

Blog

O grande Boom do blog iniciou a partir do ano 2000 com a galerinha Teen, usando mais como um diário público on-line, depois deu uma diminuída na febre retornando alguns anos depois como forte ferramenta de comunicação e interação das empresas com seu público.

Com o grande avanço das ferramentas e plataformas, tornou-se cada vez mais fácil e interessante criar um blog, porém, ainda poucos sabem como utilizá-lo corretamente na empresa de forma que alcance os resultados positivos. Transformam ele em tudo, de catálogo de produtos a entojantes portais de notícias chatas de empresa.

O blog para ser interessante deve ser escrito por quem sabe conversar, isso mesmo, CONVERSAR! Imagine os leitores como uma roda de amigos, e escreva como se você estivesse compartilhando com eles algo legal e interessante, inclusive querendo saber a opinião verdadeira.

Então para não errar deve ter em mente antes de se aventurar em um blog:

  • Quem vai escrever precisará ter disponível tempo regular para isso. Dependendo da habilidade da pessoa em desenvolver uma boa redação, isso pode ser de no mínimo 3 horas por post/texto/artigo;
  • Não faça propagandas e promoções descaradamente, isso compromete a imparcialidade e consequentemente a seriedade espantando os leitores;
  • Nada de textos formais, técnicos e publicitários. Procure sempre uma linguagem clara, pessoal e afetiva, mas sem esquecer da educação, respeito e bons modos;
  • Procure sempre assuntos criativos, ou se for algo comum, tente abordar de forma inovadora ou diferente;
  • Leia e acompanhe sempre outros bons blogs, e cite e referencie eles quando o conteúdo for relevante e complementador ao que está escrevendo.

Veja outras boas referências para criar um blog de qualidade.

 http://www.efetividade.net/2007/08/19/vai-criar-um-blog-aprenda-as-receitas-de-sucesso-dos-blogs-mais-conhecidos/

 

http://www.efetividade.net/2011/04/04/qual-a-receita-de-um-bom-blog/

http://www.codigosblog.com.br/2010/01/30-dicas-para-criar-um-blog-de-sucesso.html

 

Portal de Serviços e Conteúdos

São os sites com amplos recursos e/ou conteúdos, destaca-se pelo dinamismo, pois está a todo momento com conteúdos novos e pode ter uma grande gama de serviços on-line. Hoje em dia não são exclusividades de grandes empresas ou provedores de internet, até empresas menores as vezes optam por este tipo de aplicação dependendo do seu segmento.

Sem dúvida este é um tipo de site que pode garantir grandes resultados e uma ótima experiência com o seu cliente, porém, é preciso ter certeza que está preparado estruturalmente para ele senão o tipo pode sair pela culatra.

Eu já fui grande entusiasta para este tipo de site em pequenas empresas, mas depois de algumas experiências tenho certo cautela antes de indicar grandes investimentos nesse tipo, pois se não houver uma estrutura operacional preparada para mantê-lo, o conteúdo acabará ficando desatualizado, o site abandonado ou mal cuidado.

No post “Não adianta ter um site com gerenciador de conteúdo sem ter quem gerenciar” eu falei um pouco mais sobre quando saber se um site com um Gerenciador de Conteúdo é ou não a melhor opção.

Antes de considerar um site com CMS para a sua empresa, responda as seguintes perguntas:

As informações que vou colocar no site precisão ser alteradas com frequencia?

Talvez a parte que será atualizada com frequencia seja apenas algumas notícias, artigos ou portfolio, neste caso é muito melhor fazer um gerenciador de conteúdo apenas para esta parte, pois ficará mais prática a atualização e o código do site poderá ser mais limpo para uma melhor indexação pelos mecanismos de busca como o Google e outros.

 Tenho uma pessoa ou equipe preparada para este serviço?

Não é porque você sabe fazer um texto bonitinho no word ou montar uma planilha massa no Excell que estará preparado para criar uma página de um site pelo gerenciador. É verdade que o editor de texto do gerenciador normalmente parece um word simplificado, mas há muitos outros detalhes importantíssimos que vão muito além da digitação. Design, formatação, hierarquia de conteúdo, usabilidade e outros, além de que muitos momentos, para fazer algo bem feito, será necessário editar o conteúdo em HTML mesmo, pois nem sempre o editor visual conseguirá a objetividade e qualidade necessária.

A pessoa ou equipe preparada tem tempo ou foi contratada exclusivamente para isso?

Entendo que esta questão está sutilmente incluída na anterior, mas estou reforçando porque já vi casos em que o cliente está contando com o “Carinha do TI” para fazer isso, mas ele tem trocentos computadores para remover vírus, ajudar o pessoal a colocar a senha do e-mail, etc… e tenha certeza que quando sobrar 15 minutos ele vai fazer um texto para colocar no site que nem ele mesmo conseguirá entender depois, isso se passar do primeiro parágrafo.

Concluímos que…

Um site bom é um site que, independente da aplicação ou investimento, atenda a sua real necessidade e ajude a alcançar seus objetivos.

O auxílio de um profissional é indispensável, porém, faz-se necessário um conhecimento básico para poder interagir com quem está contratando e saber se o caminho a ser tomado bem como os custos estão corretos.

Claro que o abordado aqui foi bem básico, além disso, há inúmeras opiniões e posições quanto à esses assuntos, mas poderá ser útil para ajudar a evitar escolhas erradas em um momento tão importante como este de estabelecer sua presença on-line.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Classificado como:                    

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>

Spam Protection by WP-SpamFree